Como é o processo de imigração para a Austrália

Dicas para conseguir um emprego e o visto australiano

Nunca imaginei que esse vídeo chegaria a mais de 70.000 views!

Disclaimer: o que você lerá abaixo é relativo à minha experiência. Eu cheguei na Austrália em agosto de 2013 e o departamento de imigração pode ter mudado algumas coisas, então recomendo você sempre consultar o site oficial.

Por que estou escrevendo esse post?

Vários amigos tem me enviado dúvidas, então eu compilei as respostas em um único lugar, para ajudar outras pessoas que também tenham interesse.

Grupo no Facebook para saber mais

Eu criei um grupo no Facebook (já somos mais de 8.000 membros, dado atualizado em 2018) para que discussões sejam acessíveis à todos.

Já existe bastante conteúdo lá, vale a pena dar uma olhada: “Brasileiros que querem ir para a Austrália”, principalmente no post fixo.

Por que Austrália?

Quando conheci minha esposa, em 2010, descobrimos uma coisa em comum — uma vontade enorme de morar fora do Brasil: conhecer outras culturas, aprender outro idioma, vivenciar diferentes costumes e conhecer pessoas diferentes. Já no primeiro dia descobri que ela iria fazer um intercâmbio para os EUA.

Alguns anos mais tarde, alguns amigos estavam mudando pra fora do país e me motivaram a pesquisar mais sobre como tornar isso possível. No começo eu não tinha exatamente uma preferência, então comecei a fazer entrevistas em vários países: Alemanha, Canadá, Inglaterra, Austrália, entre outros. Eu estava em busca de um país onde a lingua nativa fosse o inglês, mas isso não era necessariamente um fator limitante caso surgisse uma oportunidade interessante.

O que aconteceu foi que eu participei de um longo processo seletivo em uma empresa australiana que durou mais de 2 meses. Durante esse período eu pesquisava muito sobre o país e me identificava muito. Decidi então que era pra cá que eu queria vir e meu foco se resumiu em uma palavra: “Austrália”. Infelizmente a empresa não me ofereceu um emprego. Isso aconteceu várias vezes (não somente na Austrália) e às vezes é bastante frustrante.

O LinkedIn foi fundamental nessa fase: através dele consegui várias entrevistas. Algumas poucas deram certo mas para trabalhar com algo que não era exatamente o que eu queria. Desisti. E comecei de novo. E desisti novamente. Esse ciclo se repetiu algumas vezes. Pensei em aceitar qualquer coisa. Pensei em vir como estudante e ver no que dava depois que chegasse aqui. Mas o ideal seria mesmo conseguir um emprego antes de vir.

Persisti então até que — pouco mais de um ano depois — deu certo! Serei eternamente grato pela ajuda que recebi do Ricardo Bernardeli, com o qual eu trabalho hoje. E a lição que tirei disso tudo é que não existe segredo: basta estudar bastante o idioma do país, se preparar bastante para executar o trabalho que será necessário e ter persistência, que é uma das coisas mais importantes. Lembre-se: mesmo que você esteja fazendo várias entrevistas e todas estejam dando errado, você só precisa que uma dê certo, apenas uma já é o suficiente. Persista até conseguir!

Vantagens de vir para a Austrália

  1. Você não perde sua cidadania brasileira — ou seja, você pode ficar com as duas. Na Alemanha por exemplo, você perde a brasileira.
  2. Dependentes podem trabalhar/estudar — Nos EUA ou Canadá por exemplo, eles não poderiam fazer isso nos primeiros anos.
  3. Clima agradável — muito similar ao do Brasil.
  4. Salários bons — a Austrália tem um dos melhores salários do mundo. Além disso, existe uma lei que determina o valor mínimo por ano para o salário de imigrantes.
  5. Qualidade de vida — a Austrália tem o segundo melhor IDH do mundo.

Como é o processo de migração para a Austrália

Depois que você consegue um “sponsor”, ou seja, uma empresa que te “patrocinará”, você precisa fazer algumas coisas, que podem variar um pouco de pessoa pra pessoa. No meu caso, resumidamente, foi:

  • Traduzir uma série de documentos — precisa ser realizado por um tradutor autorizado pela imigração australiana e depois enviar estes documentos para a imigração. Tudo é feito online;
  • Tirar o passaporte — caso você não tenha ainda. Se estiver perto da data de vencimento, você precisará tirar outro;
  • Fazer alguns exames médicos — em clínicas autorizadas pela imigração;
  • Se vacinar contra febre amarela — isso é importante, você pode ser deportado assim que chegar aqui se não tiver o comprovante de que se vacinou;
  • Pagar a taxa de imigração — essa taxa muda de tempo em tempo, no momento é algo em torno de A$ 1000,00.
  • Fazer o exame IELTS — para provar proficiência em inglês — a nota mínima que você precisa tirar é *4.5 **em cada uma das modalidades do exame: *listening, reading, writing e speaking;
  • Dinheiro — a passagem e a acomodação inicial não são muito baratas. Na verdade, o custo de vida na Austrália é alto. Mas isso é compensado pelos salários, considerados um dos melhores do mundo.
  • Se livrar das coisas que você tem no Brasil — eu me casei 6 meses antes de vir e tinha ganhado vários presentes de casamento, mas precisei de me livrar de quase tudo, infelizmente;
  • [Opcional] Solicitar a PID — ou seja, a “Permissão Internacional para Dirigir”. Você solicita isso no Detran (o valor varia de estado para estado — em SP custa cerca de R$ 230 e no RJ custa cerca de R$ 107) e poderá dirigir aqui enquanto sua atual habilitação brasileira for válida.

Esse processo todo demora entre 1 e 4 meses para ser aprovado (3 meses na média).

Dependentes

Eu vim com minha esposa e ela recebeu automaticamente o visto de dependente, mas para isso precisa ser casado no civil e traduzir a certidão de casamento. Certidão de união estável também conta, mas é ligeiramente mais burocratico. Ela tem os mesmos direitos que eu tenho aqui: trabalhar em tempo integral e estudar ou fazer faculdade. Se tivéssemos filhos, eles receberiam o visto de dependente também.

Quando o visto é alterado (para o visto permanente ou cidadania — por exemplo), os vistos dos dependentes são atualizados também.

A única coisa que não temos direito por enquanto é o Medicare (sistema de saúde pública) e votar nas eleições. De resto, acho que podemos tudo.

Como conseguir o visto permanente?

O blog Brazil Austrália tem publicado artigos sobre quais são as carreiras em demanda e como reconhecer sua profissão para residência na Austrália. Isso significa que você pode conseguir diretamente um visto de residência, ou seja, mesmo sem ter conseguido o visto de trabalho antes.

O blog também conta com vários outros artigos interessantes sobre salários, sobre o país e sobre a qualidade de vida daqui.

No meu caso…

O visto que eu tenho é o 457 (Work visa) e ele tem validade de 4 anos, podendo ser renovado por mais 4 até quando você ou a empresa quiserem. Porém, depois de 2 anos, a empresa que te contratou pode solicitar para a imigração que mudem o seu visto para o “visto permanente”. Isso te desvincula da empresa e você poderá mudar de emprego se quiser. Ou ainda ficar desempregado sem ter que voltar pro Brasil (antes disso você seria deportado depois de 90 dias sem estar trabalhando). Se a empresa não quiser te ajudar nessa parte, você pode ainda esperar completar 4 anos aqui e solicitar esse novo visto de qualquer forma.

E a cidadania?

Depois de 4 anos morando na Austrália (e desde que o último seja com o visto permanente) você consegue a cidadania… nesse ponto você tem 100% dos mesmos direitos que um australiano. Mais informações: https://immi.homeaffairs.gov.au/citizenship/become-a-citizen/permanent-resident.

* * *

Basicamente é isso. Se tiverem alguma dúvida é só mandar!

Tags:

Atualizado em:

Deixe um comentário